segunda-feira, 4 de maio de 2009

Rosa Esperança em Alcobaça


Foto: Tó Vieira


Rosa, Esperança foi à cena dia 2 de Maio no Cine Teatro de Alcobaça esta linda cidade onde nasci.

Foi com muita alegria e uma certa emoção que lá entrei e percorri o palco.
À tantos anos que lá tinha estado a ver um espectáculo e nunca mais lá tinha entrado. Enquanto por lá andava a ver tudo, pensava como era engraçada a vida, quem me diria que eu um dia estaria lá no palco a representar... São as surpresas da vida... Numa altura em que eu pensava que a minha vida tinha "acabado" (maneira de falar) consegui dar a volta, ter esperança no futuro e comecei a viver a vida com muito mais intensidade, e a saber aproveitar o lado positivo da doença! Sim , porque se não tivesse tido cancro não tinha crescido tanto como pessoa, e não tinha conhecido pessoas tão amigas e maravilhosas!!! Hoje dou muito valor à vida, e a tudo o que tenho, e este projecto de teatro foi uma das experiências lindas da minha vida!

Eu sinto que nada acontece por acaso, e muitas coisas boas ainda vão acontecer...

A noite mágica foi assim:

Chegamos a Alcobaça por volta das 15 horas, fomos ter a casa da Manuela a nossa anfitriã deixar os bolitos e o espumante para depois do teatro irmos todos festejar, como já é da praxe! Às 16 horas lá fomos conhecer o palco, arrumar os adereços, e ensaiar, mas quando olho para a plateia olhei e vi uma cara conhecida mas, pensei que estava a ver mal, olhei outra vez e qual não e o meu espanto era a Jen a nossa amiga americana que veio expressamente para nos ver actuar... nós nem queríamos acreditar, foi uma linda surpresa.
O ensaio foi até às 19 horas todos a tentar dar o seu melhor, mas as coisas não estavam a correr bem, e ver o nosso Comandante tão enervado foi realmente um stress, mas como em todos os ensaios que correm mal é sempre um bom é sinal, acreditámos que tudo ia correr bem e foi mesmo isso que aconteceu! Correu tudo muito bem, o público gostou muito, casa cheia com lotação esgotada à vários dias... não podia ser melhor!

As minhas primas também estavam lá com rosas para nós, a Sandra que não via à 10 anos, muitas guerreiras subiram ao palco para falarem com todas nós, e comigo aconteceram duas situações muito bonitas: Uma jovem chega ao pé de mim, e pergunta se eu não a conhecia, respondo que não, ela diz-me: andou comigo ao colo... Era a Luísa... meu Deus, à tantos anos que não nos via-mos estando tão perto... adorei abracá-la! De seguida vem até mim uma amiga de infância a Aldina, andámos na escola juntas e não nos via-mos à tantos anos... Diz que só me conheceu no filme da praia, e nem queria acreditar que era eu! Ela também teve cancro da mama à 5 anos!
Enfim, foram tantas as emoções e o tempo passou tão rápido, que nem deu para falar com todas as amigas e amigos que nos foram ver mais uma vez... são todos fantásticos!

Muito mais haveria a dizer, mas como ando a escrever este poste já à uns dias, por falta de tempo, vou terminar senão fica desactualizado...

Não se esqueçam de ver amanhã a SIC e o programa Contacto, vão estar lá as "Rosa Esperança" a partir das 15,30. Eu tenho muita pena mas não vou poder ir!

Agora vão começar as saudades dos ensaios, dos encontros, e dos espectáculos!!!
Mas também nos faz muito bem descansar estes meses, para em Setembro recomeçar-mos em grande força para passar-mos a mensagem e colorir de "Rosa Esperança" Portugal de lés a lés!

Um Xicoração para todos!

9 comentários:

IsaLenca disse...

Deve realmente ter sido emocionante e também motivo de orgulho (na boa acepção da palavra porque sei que és muito simples e verdadeira) estar na "terra" e rever tantas pessoas e reconhecer outras: de bebé até agora...o tempo passa rapidinho mesmo.
É como as vossas "férias" do teatro..quando derem conta já estão outra vez no palco a passar a mensagem.
Bjs

Jen disse...

Muitos beijinhos Alda!

Lina Querubim disse...

Beijokas Aldinha eu a pensar que as ia ver a todas :( que pena... mas vai haver mais programas a ir não sei porquê...bjsss

jorge henriques disse...

Muito boa tarde, já nâo é a primeira vez que por aqui passo no entanto é hoje a primeira vez que deixo rasto,hehe.
Quero em primeiro lugar felicita-la a si e a todos os que participaram na peça pelo desempenho e pela coragem de enfrentar um palco ,coisa que sei nâo ser tarefa facil.
Tive oportunidade de ver a representaçâo em Rio Maior e sinceramente nâo sei o que me emocionou mais se a peça ou ter conhecido a Liliana e o seu Puma,foi uma tarde de Domingo cheia de emoçôes .
Cá fico esperando que Lisboa possa ser contemplada com a vossa representaçâo e fica prometido que serei um dos espectadores.
Saudaçôes cordiais
jorge henriques

Ana Paula disse...

Alda tive imensa pena de não ter ido ver o espectaculo a Alcobaça, estva perto mas não tinha boleia...
Espero que Leiria seja uma cidade contemplada pela vossa visita quando recomeçarem.

Beijinhos

Alda disse...

Um grande beijinho para todos!

Isalenca, não aguentamos tanto à espera, temos que combinar umas coisas...

Jen, teres vindo expressamente para nos ver foi realmente fabuloso!
E pensar que tanta gente a 20 Km de distancia não foram ver a peça porque era longe... Ahhhhh


Lina, desta vez não deu para ir! Vou da próxima podes crer, nem que a porca tussa!!!


Jorge, muito obrigada!
Contaremos consigo na plateia, para nos aplaudir quando formos a Lisboa.


Ana Paula,
Tudo é possível, e a partir de agora não podemos parar...


Beijos e abraços!

rosa pereira disse...

Alda
Com o Projecto Rosa Esperança alargou-se a partilha e a cumplicidade de todos, por isso as saudades já são muitas.
Amanhã vou tentar ver as meninas na SIC.

Beijinhos para ti e Zé Manuel

carla ervilha disse...

Foram muitas emoções, uma vez mais. E descreveste-as na perfeição, Aldinha. Imagino o que sentiste ao rever as tuas amigas :) Hoje és uma mulher mais completa e mais feliz, é o que dizes. Não sei como eras antes, mas adoro esta Aldinha que conheci há 2 anos e pouco. Um grande beijo para ti e para o Zé Manel.

Gigi disse...

Estiveram muito bem como sempre. Só tenho pena de termos tido pouco tempo para conversar.

Beijinhos grandes.