quinta-feira, 15 de maio de 2008

Depois da mastectomia

A reconstrução cirúrgica e estética da mama é uma realidade para quem é submetida a uma remoção total ou parcial da mesma. É o primeiro passo para ultrapassar uma das mais difíceis etapas da doença.
Para a mulher a perda de uma ou de ambas as mamas pode representar uma mutilação com
repercussões psicológicas, sociais e familiares de grande intensidade.
Qualquer ideal de beleza feminina contempla seios bonitos e firmes. Por este motivo, a mastectomia constitui, invarialvelmente, uma das mais difíceis etapas a ultrapassar num processo de cancro da mama.
Um facto incontornável é que a incidência da patologia está a aumentar, sendo actualmente responsável por cerca de 360 mil novos casos na Europa, todos os anos.
O cancro da mama é, aliás, a forma mais comum deste tipo de patologia entre as mulheres, constituindo a primeira causa de morte entre os 35 e 55 anos, de acordo com a Sociedade Portuguesa de Senologia.
Todos os anos surgem em Portugal mais de 4000 novos casos e morrem 1500 pessoas vítimas desta doença que, quase sempre, inclui actos cirúrgicos no seu tratamento. Na maioria dos casos, contudo, as pacientes podem ser reabilitadas através da reconstrução cirúrgica e do implante de próteses. Com resultados muito animadores.

PREVENÇÃO
Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas que pode invadir os tecidos vizinhos e disseminar-se (metastizar) para outros órgãos do corpo. Na fase inicial, o cancro da mama pode ser tratado antes que se espalhe, quando as hipóteses de cura são maiores, os tratamentos menos agressivos e não mutilantes. A realização do auto- exame é fundamental pra detectar o cancro da mama. Os principais sinais de alerta são a retracção do mamilo, a mama vermelha e a existência de nódulos palpáveis.

8 comentários:

Marilu disse...

Aldinha tens muita razão...
A reconstrução é muito importante mas mais uma vês o meu grito de revolta, quantos anos em lista de espera?Perdoa mas é uma mágoa que sinto...

bjs um abraço ao Zé Manel.

Gigi disse...

É de facto incompreensivel o tempo que muitas mulheres têm de esperar para poderem fazer uma reconstrução mamária.

Por aquilo que me tenho apercebido, muitos médico ainda não consideram essa parte importante na cura ao cancro da mama. Mas a cura, no meu entender, passa também pelo facto da mulher não se sentir mutilada, será a cura psicológica.

Loulou disse...

Sei que sou uma sortuda, no que diz respeito à reconstrução. Não entendo mesmo como outras mulheres, como aqui as nossas amigas, precisam de esperar assim tanto tempo... É como a Gigi diz, a reconstrução é a cura psicológica e essa conta muito!

Gatapininha disse...

Sei que em alguns hospitais aceitam cirurgiões estéticos particulares na equipa que vai realizar a cirurgia.
Muitos não dão esta informação à doente, mas eu acho que é uma forma de tornar as coisas mais rápidas e mais eficazes. Nem todos têm a possibilidade de pagar esse serviço, mas muitas vezes não utilizam porque não têm conhecimento.

Cristina J. disse...

Bjinhos grandes amigas

Alda disse...

E como todas sabemos, fazem-se no serviço de saude operações de "estética" às amigas e amigos. Foram os médicos que denunciaram esta realidade.
Nós temos que esperar anos...
Que tristeza...
Vamos ver quanto tempo também vou esperar!

Beijinhos para todas

Cristina J. disse...

Queridas, vocês com ou sem reconstrução mamária feita, são umas GRANDES MULHERES.

E têm uma beleza muito maior que quaisquer uma das outras que fazem a cirurgia apenas por uma questão de estética.
Pensem assim!

Bjinhos

Alda disse...

Obrigado lindas pelos miminhos.
O saber ultrapassar tudo isto, já é uma grande vitória podem crer.
Beijinhos para todas